quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

CRIE, NÃO FINANCIE!

   Vamos lá, eis-me aqui para o primeiro post em nosso blog, perdoem-me se caso encontrarem algum erro. Escreverei sobre um assunto que causa muita indignação para os amantes da natureza, O TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES.

Apreensão de aves com destino ao exterior, comércio ilegal. Fonte: Google

   O comércio de animais silvestres é CRIME previsto por lei e está em terceiro lugar do ranking entre as atividades ilegais que mais movimentam dinheiro sujo no país (aproximadamente US$ 10 bilhões por ano). O segundo lugar ficou com o tráfico de armas e o primeiro lugar com a política, brincadeira, ficou com o tráfico de drogas.

  Realidade esta que se faz presente devido a grande biodiversidade do Brasil. Segundo relatórios da Policia Federal 38 milhões de animais são retirados anualmente e ilegalmente de seu habitat, sendo que 40% são exportados e 60% são traficados aqui mesmo no Brasil, fato que demonstra o papel da sociedade brasileira no tráfico, pois, quando compramos um animal ilegal contribuímos para que esses números cresçam e num futuro não muito distante, comprometer o equilíbrio ecológico do planeta.

Trinca-ferros em transportes. Fonte: Google.
 
   Os animais traficados são transportados em condições precárias em caminhões de carga, transportes, caixas de sapatos e outras inúmeras maneiras. A maioria morre durante a viagem e os que sobrevivem chegam bastante debilitados aos seus destinos finais que também são inúmeros, ressaltando os mais comuns como o abate e a venda, feita em grandes centros urbanos nas feiras livres. Estima-se que de cada 10 animais transportados 1 apenas sobreviva. Veja abaixo as espécies mais traficadas e comprados pela população de baixa renda:

Pássaros apreendidos em feiras livres. Fonte: Google
Galo-de-Campina        Pixoxó (Chanchão)           
Azulão                         Sabiá-Laranjeira
Pixarro (Trinca-Ferro)  Coleirinha
Canário-da-Terra         Bigodinho
Pássaro-Preto              Brejal
Pintassilgo                    Chupim
Cardeal                       Corrupião
Tico-Tico                    Tartaruga-da-Terra
Pixoxó (Chanchão)      Tartaruga-da-Água
Sabiá-Laranjeira          Mico-Preto (Sagüi)

                  A maioria é de aves.

   Portanto, a sociedade tem um grande na extinção dos animais, o que devemos fazer? Parar de comprar!, isso mesmo, quando deixamos de comprar comprometeremos toda a rede, pois, somos o destino final, os consumidores, e denunciar qualquer tipo de comércio ilegal de animais que pode ser feito através do número do IBAMA - Linha Verde: 0800 - 618080.

   Se realmente gosta de animais não compre em feiras, procure se legalizar junto aos órgãos cabíveis e adquiri-los de criadouros comercias também legalizados. Lembrem-se criar animais silvestres sem devida autorização é CRIME. Para aves a multa de R$ 500,00 por ave e se estiver em extinção a multa é de R$ 5000,00.

   Ressaltando, a polícia alerta que quem deseja criar pássaros silvestres em casa deve adquirir os animais de criadores legalizados e cadastrados ao IBAMA. O criador tem de ficar atento e verificar se o pássaro está anilhado. Procedimento realizado até o quinto dia de nascimento da ave. A pessoa ainda deve procurar o Ibama para fazer o Cadastro Técnico Federal por meio do Sistema de Cadastramento de Passeriformes (Sispass).
http://servicos.ibama.gov.br/index.php/autorizacoes-e-licencas/criacao-de-passaros-silvestres-sispass

                                                           FIQUE DE OLHO!
                                                      CRIE, NÃO FINANCIE!